30 de jul de 2010

INFORME

Vimos por meio deste post anunciar que, felizmente, foi localizada a Bola da Copa. Em uma de suas escapadas, Maria Eduarda correu até a dispensa e apontou para debaixo de uma prateleira. E lá estava a doce redonda (um pouco empoeirada, mas sem escoriações graves), que voltou a ser quicada em nossa sala. Agradecemos a todos que enviaram genuínas manifestações de apoio em um momento de tamanha aflição.

Com o restabelecimento da ordem natural do apartamento 211, podemos agora respirar aliviados e prosseguir com os planos da reforma.

Cordialmente,

Fabio Chiorino – Pai
Maria Eduarda – Filha

Entulho

Já chegou aqui em casa a Gazeta de Santo Amaro desse final de semana. O destaque é uma matéria que fala sobre uma multa que o Kassab anunciou para quem joga entulho nas ruas.

Fiquei pensando, com a quebradeira que a gente quer fazer em casa vamos gerar muito entulho. Logo a gente pensa naquelas caçambas de entulho que ficam nas ruas quando alguém tá em reforma, né? Mas tem um probleminha, na minha rua é proibido estacionar das 6 às 20h, o horário permitido para reforma no meu prédio eu ACHO que é das 9 as 17h. Ou seja, como vou fazer para tirar o entulho daqui???????

Pensei em colocar a caçamba no quarteirão de cima, mas ai quem consegue levar o entulho até lá? Não dá. A caçamba dentro da garagem do prédio? Jamais, ia dar confusão nos primeiros 30 segundos, e além do mais o caminhão que carrega a caçamba nem pode descer até lá.

COMOFAZ?

29 de jul de 2010

Cunhadas - A minha e a dele

Mais duas sugestões de planta!!

A planta número 4 é uma ideia que a minha cunhada, a Fê, teve na última madrugada. E durante o dia a minha irmã, a cunhada dele, mandou exatamente a mesma sugestão!!

A planta número 5 foi uma que nós criamos aqui hoje.

Vamos lá, esclarecendo algumas dúvidas. A gente não pensa mais em mudar daqui, pelo menos não tão cedo. Nos próximos 10 ou 15 anos achamos que vamos ficar nesse apê aqui mesmo. Mas caso a gente ganhe na mega sena, tudo pode mudar! Por isso queremos mexer no apartamento e fazer algo que fique bacana mesmo. Até agora a planta mais econômica foi aquela que faria o 3 dorm onde hj é a sala, mas deixaria a sala sem janela. Conversamos sobre isso aqui em casa, eu, o Fabinho e minha avó, e achamos que uma sala sem luz natural e sem ventilação não seria o ideal para o nosso estilo de vida, uma vez que a parte que mais usamos do apê é justamente a sala.

Outra coisa, sobre a falta de janela no banheiro. Não tem janela mesmo, mas temos um sistema de ventilação no teto com um duto que vai para o lado de fora do prédio, pela lateral. Então, esse sistema continuaria no banheiro e se a gente fizer mais um banheiro (como na planta 5) ele também terá esse sistema, já vimos que dá para fazer. E podemos até colocar um daqueles exaustores de banheiro (na verdade não sei se é esse nome mesmo). Tem isso no banheiro da minha irmã. Vou pedir p ela tirar uma foto p eu mostrar aqui (Tarsila, tira uma foto ai p mim?). Ai seriam duas formas de ventilação p o banheiro, na verdade acho que uma iria complementar a outra. O único problema que vejo nisso é que eu detesto o barulho enlouquecedor que essa peça faz lá no banheiro da minha irmã. Acho que um interruptor separado, só para ele, poderia resolver esse problema.

Planta 4:


Planta 5:


Coifa X Exaustor

Sabe aquelas dúvidas que parecem bobas, mas em uma obra podem não ser? Eu não sabia a diferença entre coifa e exaustor, p mim um era grande para cozinhas profissionais e o outro pequeno para cozinhas residenciais.
Fui no "santo google de todos os dias" procurar e vi que a diferença de preço é muito grande, as coifas vão de 1.000 até 2.000 reais e os exaustores são de 150 a 300 reais. E pelo que pude entender a diferença básica é a potência que eles têm para sugar a fumaça.
Achei um vídeo ótimo com a explicação.



Casa de ferreiro... justo eu que trabalho com tv nunca tinha pensado em colocar vídeos aqui?? Quem sabe depois que a obra começar eu peço ajuda para os meus amigos e coloco umas coisinhas nossas aqui. Mas calma, primeiro a obra precisa começar! rs

28 de jul de 2010

A bola da Copa

Adoro fazer compras no Wal Mart pq além de ter tudo de um supermercado normal ainda tem aquele monte de bugigangas divertidas para a gente ver. Tem um aqui pertinho de casa que normalmente não é muito cheio, ótimo para ir com a nenê. Uns dias antes da Copa 2010 começar a loja estava cheia de bandeiras, vuvuzelas, camisas e... bolas. Vi uma bola verde e amarela bem baratinha, achei que seria legal levar para a nenê brincar. Ai começou o meu problema.
Com a nenê eu deixava a bola rolar bem devagar no chão da sala, e ela adorava, ria, vibrava! Ai o pai dela chegou em casa, Sr Fabio Chiorino, uma pessoa séria, jornalista, assessor de imprensa, coordenador da X Press Comunicação... e começou a bater bola, na sala. Respiro fundo, conto até três, olho p ele e dou uma risadinha irônica, ele entende o recado e para. Uns dias depois ele já estava fazendo embaixadinhas... passado mais uns dias escuto umas boladas na parede... desde então minhas noites tem sido assim, jogos de futebol na sala.

Hoje quando entro aqui no blog vejo esse post abaixo... vale lembrar que meu prédio tem uma quadrinha lá embaixo. Sim, é "drinha" mesmo, mas com certeza é um lugar mais apropriado para tal prática esportiva do que a sala de casa.

Ai ele me pergunta se depois da reforma vai poder jogar bola na sala... Estou na dúvida e peço ajuda de vocês para qual resposta devo dar.

Seguem as alternativas:

a) Abro mão de ter uma sala e na reforma faço um campinho de futebol com grama sintética
b) Furo a bola, afinal custou só 2,99
c) Ligo para o Exercito da Salvação e falo que estou fazendo uma doação e que eles podem vir buscar o meu marido
d) Simulo uma visita para a minha sogra e levo o Fabinho e a bola para a Mooca

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Depois de toda a reforma, eu e a Maria Eduarda ainda vamos poder jogar bola na sala, ou a Amanda vai vetar? Eu acho que pelo menos um amistoso para celebrar as mudanças na “Acelga” seria de bom grado...

27 de jul de 2010

NOVO PROJETO PARA A "ACELGA"

Recebemos mais um opção de planta, dessa vez da tia Rose!!! Eu gostei muito da ideia de não mexer na parte hidráulica do apartamento, isso iria baratear bastante a obra. Por outro lado, a sala de estar ficaria sem janela, o que complicaria um pouco a ventilação e a iluminação.

Opiniões? Pitacos? Dicas? Considerações?

26 de jul de 2010

O QUARTO DA MARIA EDUARDA

O novo quarto para o apartamento não é um luxo. É uma necessidade. Porque quem tem filho pequeno que dorme no mesmo quarto dos pais, conhece bem a dificuldade.

Assim que nasce, mesmo que o apartamento seja o Palácio de Versalhes com seus 700 quartos, você vai querer a criança o mais perto possível. A natural insegurança torna a divisão do espaço algo conveniente. Atire a primeira mamadeira quem nunca ficou olhando fixamente para o recém-nascido, para ver se a respiração está normal, se está frio ou calor e entrar em ação diante do mínimo barulhinho emitido.

Mas aí a Maria Eduarda cresceu. E com 1 ano de vida parece dominar todas as técnicas de manhas possíveis. Deve ter feito curso no SENAC, escondida. E qualquer desconforto no meio da noite, ela abre os olhos e sabe que estamos lá, prontos para niná-la.

E mais: ela é sempre nosso despertador. Acordou, bateu o tédio, ela dá piruetas no berço para ver se alguém a acolhe. Sem resultado, começa a buscar todos os objetos que alcança no criado-mudo ao lado. Se ainda assim não obtiver êxito, joga os mesmos objetos no chão e inicia a inconfundível melodia do choro. É o mais perto de uma rebelião que ela consegue promover.

Então, sabemos que um quarto individual lhe fará bem. Todos os pediatras e estudiosos sinalizam que este “isolamento” é saudável para o desenvolvimento do bebê. Óbvio que, assim que o quarto for inaugurado, eu e a Amanda vamos no revezar para checar se está tudo bem. Mas, ao mesmo tempo, será um passo importante para o bem-estar de todos.

Eu também sei que, quando cada um estiver no seu canto, vai bater aquela saudade de olhar para o lado e ver a coisa mais importante do mundo dando risada, se escondendo entre os lençóis e tentando chamar a sua atenção. Porque, como dizem os filósofos populares, cada escolha é uma renúncia.

Mas fica a promessa de que ficarei sempre ao lado da Maria Eduarda, inventando histórias, criando músicas (nunca decoro as que já existem) e buscando em seu olhar aquele semblante doce, que sinaliza estarmos no caminho certo.

Grandes amigas

Tenho grandes amigas de velha data, a Pri e a Cris. A gente se conheceu no jardim de infância quando tínhamos entre 4 e 5 anos.

A Pri sempre foi mais tímida com os desconhecidos, mas grande amiga. Estudamos juntas até a 8ª série, e depois voltamos a frequentar a mesma sala de aula durante o cursinho. Temos muitas histórias para contar, viagens para Floripa, Salvador... É uma daquelas amigas que com o passar do tempo a amizade só cresce.

Já com a Cris eu estudei só até a 2ª série, tempo suficiente para a gente aprontar muito. Na 1ª série quase enlouquecemos nossas mães quando fugimos do colégio. Depois ela mudou de colégio, morou fora do país, voltou e acabou indo fazer faculdade em Campinas. Crescemos, passamos carnavais em Salvador... e agora ela vai voltar a morar em São Paulo. O que importa é que a amizade sempre foi grande.

Elas são as tias da Maria Eduarda.

Mas pq eu estou contando isso em um blog que deveria falar de reforma? Vamos lá, contei para explicar que presentes de casamento assim você só ganha de alguém que realmente te conhece ha muito tempo e que é amiga de verdade. Quando eu e o Fabio fomos morar juntos nós fizemos um almoço para a família, e como amigas desse tipo são como irmãs que a gente escolhe, elas foram convidadas. A Cris levou um presente diferenciado e um dos mais usados no nosso dia a dia, digamos assim.

Esta não sai com a reforma.

23 de jul de 2010

O ADMIRÁVEL MUNDO DAS PRIVADAS

Sempre enxerguei a privada como um objeto singular. Está lá para uma função única, sem diferenciais relevantes. Era o que eu achava. Até passar uma tarde com a Amanda numa loja de construção. Foi difícil me concentrar. Estava acompanhando a decisão do 3º lugar da Copa do Mundo. Numa orelha, o fone de ouvido; na outra, as opiniões da minha esposa, que conhece todos os detalhes técnicos de tudo que se relaciona aos termos “casas” e “carro”.

Sim, caro leitor, se você ainda não percebeu, a Amanda é o homem da relação. Quando tento adivinhar qualquer problema no meu Fiesta, ela solta: “você está chutando, né?”. Ou quando discuto uma opção para a casa, ela se adianta: “Legal, mas isso não existe”. E por aí vai...

Mas voltando ao tema, fiquei admirado com a variedade de privadas que existe no mercado. Cores, tampas, formatos, encaixes, preços. Água que passa de um lado, água que passa de outro. Para entender todas as diferenças, é necessário um MBA, ou passar três dias trancado no seu próprio banheiro.



Fica o aprendizado: esta reforma é pública, mas a decisão é privada. Literalmente.

Vizinhos X Reformas

Pelo que tenho pesquisado tudo indica que reforma em apartamento tende a ser mais demorada do que em casa. Explico, de acordo com o código civil, quando se trata do direito da vizinhança e do uso anormal da propriedade algumas limitações são feitas. Além dos municípios que têm leis que só permitem barulho até as 22 horas.

Mas ai é que tá o negócio que eu não sabia, os condomínios têm autonomia para mudar esse horário para mais cedo, isso depende da convenção do prédio. É sempre bom a gente conversar com síndico e tirar a dúvida do horário, assim evitamos futuros aborrecimentos. Mesmo pq criar problemas com os vizinhos não é nada divertido. E outra, nunca sabemos quando vamos precisar da ajudinha de um vizinho.

Vou contar para vocês: Conheço uma pessoa que para mexer no encanamento de esgoto do banheiro ia precisar quebrar o teto do apto de baixo. O vizinho simplesmente não autorizou que fizessem nada no teto dele. Já se criou uma situação chata, né? A pessoa que estava fazendo a reforma tentou realizar a troca de canos pelo piso do próprio apto, mas não deu certo. De tanto os pedreiros baterem para trocar os canos, o teto de gesso do apto de baixo caiu! E não foi só isso, com a queda quebrou também a bacia, pia, box... ou seja, a vizinha não tinha deixado eles fazerem a obra por lá, foram tentar dar um jeitinho e pronto, complicou tudo! O resultado? Reformaram o banheiro do apê de baixo.

Reformar é ter história para contar!

Mudando de assunto:
Me passou uma coisa pela cabeça, contratar uma empreiteira é caro? Alguém conhece alguma boa, honesta e barata para a gente fazer orçamento?

22 de jul de 2010

Acelga

Já que fui autorizada a contar a história e o santo da ACELGA, vamos lá!

Parte 1 - O Fabinho tem uma tia que é design de interiores, a tia Rose. Quando começou essa história de reforma a gente tava mega perdidos. Mil ideias na cabeça, mas sem saber se eram viáveis. Um dia perguntei para a tia Rose se a gente podia mandar as plantas p ela por e-mail, assim ela dava uma olhada e umas opiniões. Ela é uma super profissional, quem precisar de indicação de profissional, essa a gente indica!

Parte 2 - Mulher é uma coisa de doido, né? Sempre tá de regime! Coisa de louco, a gente sempre acha uns quilos a mais para perder. Acho que até a Gisele Bünchen deve achar que está gorda pq acima de tudo ela é mulher! Eu, por exemplo, ainda preciso perder 6 quilos desde q a nenê nasceu. Ai, melhor voltar ao assunto original... Isso foi só para dizer que, como qualquer mulher em sã consciência, a tia Rose estava de regime. Essa história de planta pra lá, planta para cá mexeu com a cabeça dela... até que um dia recebemos a seguinte mensagem no twitter:

"Dormi c/a planta do apê da @amandaansaldo e @fchiorino na cabeça.Sonhei q eles mandaram a "planta"q era uma folha de acelga. E eu comi!"

Pronto, virou acelga! rs

Próximo natal vou pendurar na porta de casa um guirlanda de folhas de acelga rsrsrs

21 de jul de 2010

Nova opção!

Tá vendo pq tô adorando o blog? rs Recebi uma idéia bem bacana do meu amigo Mauricio Pó. Ele falou para eu alinhar o banheiro com a sala, para o dormitório 3 ficar maior. Fiz um desenho, e parece que estou gostando... tive que dar uma mexida na posição das portas tb.
Mauricio Pó trabalha como fotógrafo, quem quiser dar uma olhada no trabalho dele, segue o site: www.mauriciopo.com

Possível planta da reforma

Poxa, vocês nem me deram umas opiniões como pedi no meu último post! Coisa triste, viu! rs
Agora vou colocar a planta com as idéias que eu tive para a reforma. Usei o photoshop e fiz um monte de “copia e cola” para ficar algo que dê para entender.
Quem quiser comparar tem a planta original lá nos primeiros posts.
O que pensei foi em transformar o banheiro da suíte no dormitório 3, vai ficar um pouco menor que os outros, mas foi o que consegui bolar. Ai para o outro banheiro não ficar tão pequeno eu pensei em avançar a parede um pouco mais para a sala. Onde é a atual cozinha pensei em deixar a sala de jantar e passar a cozinha para onde é a área de serviço. A área iria para onde atualmente é o quartinho de empregada. Só não sei se isso dá certo...

20 de jul de 2010

A reforma na família (parte 2)

Depois que os ânimos se acalmaram (entenda o caso em http://goo.gl/b/vgVO), o que se viu foi uma grande festa na Mooca. Ao menos para o trio de irmãos: Fernanda, Flavio e Fabio. É uma das lembranças mais marcantes da minha pré-adolescência.

Com o deslocamento de toda mobília, ficamos diante de um cenário aventureiro. Armários viraram esconderijos, estrados foram transformados em brigadas, camas na sala se tornaram atração e quartos pelados foram inaugurados como arena de esportes.

Além disso, participamos ativamente da reforma. O pedreiro gente boa (Roberto, se não me engano) deixava a gente cortar o piso frio – confesso que inutilizei algumas peças com a minha canhota desprovida de qualquer habilidade. No final do dia, quando as obras paravam, lá íamos mexer no pincel de pintar parede, esticar ao máximo a trena e fazer testes com a régua de prumo.

Quando a reforma finamente acabou, eu e meus irmãos nos sentimos um pouco responsáveis pelo sucesso do projeto. E quando voltamos à rotina, aos nossos quartos e aos espaços tradicionais, restou uma ponta de saudade. Como quem retorna de férias e lamenta pelo fim da brincadeira.

Opiniões, dicas, idéias, achismos... tudo serve!

Outro dia coloquei a planta de alvenaria original, agora estou colocando a hidráulica e a elétrica p vocês verem.


Vai me perguntar pq tô colocando isso, né? É que, como eu comentei, nós precisamos de mais um quarto, então queria saber a opinião de todos... Bom, ai você vai me dizer que não entende nada de plantas, certo? Eu também não entendo! rs Mas olhando os "desenhos" dá p gente ter noção que passa cano em determinado lugar, que tem coluna em outro e etc. Além disso, me falaram que, como aqui é último andar, podemos fazer desvios nas colunas de água. Será? Ainda preciso confirmar isso, para ver se não vai dar vazamento no vizinho, né?

Enfim, onde você acha que a gente poderia quebrar? Onde deveríamos fazer paredes novas? Onde pode ser o novo quarto?

Eu tive algumas ideias, mas AINDA não vou colocar aqui para não influenciar nas sugestões que o pessoal pode ter. Depois coloco o que pensei, tá?

Ah, e conto também como o nosso apê ganhou o apelido de "acelga" na família! rsrs Se a criadora deixar eu conto o santo, caso contrario conto só o milagre.

19 de jul de 2010

E o curling, como fica?

E vejam só. A Amanda quer trocar o piso da cozinha! Justamente o palco onde ganhei meu 15 tweets de fama. Afinal, foi sobre aquele piso que surgiu a ideia do curling caseiro, que ultrapassou as fronteiras do Borba Gato e ganhou os veículos de comunicação em massa. Mas minha mulher tem razão: qualquer pingo que cai por lá fica parecendo um vazamento de óleo no Golfo do México. Vai rolar uma nostalgia, mas eu aceito a troca. Quem é craque não escolhe o campo.

18 de jul de 2010

Piso da cozinha

Já que o Fabinho tá falando de piso, vamos lá... Tem uns 3 anos que colocamos porcelanato creme polido no piso da cozinha. Eu acho lindo, o problema é que qualquer fio de cabelo, migalha de pão ou pingo d’água que cai fica parecendo que tem um mês que ninguém limpa a casa.

Esse aqui é o nosso piso da cozinha (tem um copo na foto pq a câmera não estava focando direito quando a gente deixava só o chão...)

Então agora na reforma eu tava pensando em trocar por porcelanato marrom, tipo cor de madeira. Bem no tipo do que temos aqui, mas marrom. O problema é que nas lojas que eu fui olhar preços não achei marrom, só branco, creme ou preto... nada de marrom! É impossível não existir!

Mesmo no ‘santo’ google eu só consegui achar uma foto onde aparece algo do tipo que eu quero... mas aparece na parede de um banheiro...



Ah sim, e tem um detalhe, não pode ser aqueles pisos de R$ 200,00 o m2, né?

Alguém tem alguma dica?

A reforma na família (parte 1)

Lembro como se fosse hoje. Meu pai chegando do trabalho, com a maleta na mão direta e o olhar incrédulo. Minha mãe, cansada do pó e sujeira acumulados no carpete, resolveu tirar tudo com as próprias mãos. Foi o Dia D da Mooca. Porque a partir daquela data, a Dona Cléo forçou o Sr. Bisnaga (como carinhosamente chamo meu pai) a começar as obras para colocar piso frio por todo o apartamento



Outro dia, meus pais estavam aqui em casa e comentamos sobre o episódio. Cada um com uma versão, mas ninguém deu o braço a torcer. Não faz mal. Eles já estão juntos há mais de três décadas e o piso já foi trocado mais uma vez. Agora é laminado, para alívio e felicidade de todos...

17 de jul de 2010

Por que a reforma ainda não começou?


Simples, pq não temos dinheiro suficiente para fazer tudo o que queremos! E como tenho um apto na praia que só usamos umas 3 vezes nos últimos 3 anos, ele está à venda, e com esse dinheiro vamos pagar a mega reforma que queremos.

Então eu pergunto: Conhece alguém que quer um apto em São Vicente, praia do Itararé, com 2 dorm, vista para o mar, área de serviço, dependência de empregada, inteiro com piso de madeira maciça, recém reformado, pintado, trocadas todas as janelas... ?

Ele está anunciado nessa imobiliária aqui.

Esse final de semana vai sair anúncio também no Estadão. Por sinal quase tive um treco quando a mulher do jornal me falou o valor do anúncio. Para sair 3ªf, 5ªf, sábado e domingo fica "apenas" R$ 467,00!!! Minha vontade foi responder p moça: "Acho que você não entendeu, não quero comprar um apto..." Enfim, depois de uma longa conversa consegui um preço melhor, R$ 114,70 para esse sábado e domingo.

Resumindo pessoal, ajudem a divulgar essa venda pq não temos dinheiro para ficar anunciando todo final de semana, e nossa filha precisa logo de um quarto :)

16 de jul de 2010

Imagine a Cena 2 (versão do marido)

Trocando em miúdos, a Amanda quer uma fechadura biométrica para abrir a porta de casa com os dedinhos fofos da Maria Eduarda. É isso. O resto é confete dela

Imagine a cena

Chegando em casa depois do trabalho estaciono o carro na garagem, a nenê ta dormindo na cadeirinha. Desço do carro, abro a porta malas e tiro duas bolsas grandes, uma com mamadeiras, papinhas, colheres, babadores, água de coco, mucilonzinho, bolacha... tudo que ela pode querer enquanto a gente fica no meu trabalho. Na outra são fraldas, roupinhas de frio e de calor (nunca sabemos como vai ficar o tempo em São Paulo), pomadas, remedinhos emergenciais... ah sim, e a minha carteira pq desde q virei mãe abri mão da minha bolsa, imagine mais uma para carregar? Não!

Coloco uma bolsa em cada ombro, fecho o porta malas, abro a porta de trás do carro com cuidado p não acordar a nenê. Já segurando a chave do carro em uma das mãos tiro a Maria Eduarda da cadeirinha e fico segurando no meu colo, pq nesse dia a moça q trabalha lá em casa, a Tia Su, tinha lavado o carrinho.

Vou me equilibrando com ela no colo e uma bolsa em casa ombro para apertar o botão da chave e fechar o carro. Ok, um problema já foi resolvido. Ando até o elevador torcendo para não encontrar nenhum vizinho, senão vão falar alto a acordar a pequena. Legal, chego ao hall e não tem ninguém por lá, mas como faço p chamar o elevador? Fui me equilibrando e consegui apertar o botão com o cotovelo. Espero um tempo e o elevador chega, tento segurar a nenê de 10 quilos em um braço só p abrir a porta com a outra mão (lembre, tenho uma mala em cada ombro). Abri a porta do elevador, e usei novamente o cotovelo e consegui apertar o 21º andar... que pela altura você deve imaginar que não foi a coisa mais fácil, ainda mais pensando q eu só tenho 1,61 m. O elevador começa a subir e eu, que não sou a melhor amiga dos elevadores, torço para ninguém entrar e ver aquela cena, mas lembro que o porteiro deve estar se matando de rir, pois está acompanhando tudo desde o começo pelas câmeras do prédio, ok, não tenho o que fazer sobre isso, no máximo balançar um pouco a cabeça para o cabelo sair do meu olho e eu ficar com menos cara de louca. Chega ao meu andar, empurro a porta do elevador com as costas e chego no hall. A pergunta é: Onde está a chave de casa? Lógico, na bolsa que está no meu ombro... ombro do braço que segura uma nenê de 10 quilos dormindo. Preciso dizer que ela acordou?

Foi ai que tive a brilhante idéia: Quero uma fechadura biométrica. É o mínimo que eu mereço depois disso tudo DIARIAMENTE, não?

Mas já começaram as piadas... o Fabio falou que vamos ficar parecendo uma empresa e que provavelmente quando o irmão dele chegar aqui vai fazer de conta que usa um crachá... falou também que o pai dele vai ficar tentando colocar todos os dedos possíveis na fechadura p ver como funciona.

Eu não mereço uma fechadura biométrica???

15 de jul de 2010

Revistas, revistas e mais revistas

Se você está começando a planejar os gastos de uma reforma, coloque no topo da lista o dinheiro que sua mulher vai gastar com 319 revistas especializadas em arquitetura, construção e decoração. Todas lindas, de capa dura, imagens gigantes... e caras, claro.

Mas é um bom investimento. A grande vantagem é que elas ajudam a visualizar como é possível mexer em um ambiente da casa. O problema é que você vê tantas opções, que fica com vontade de montar uns 4 banheiros ou umas 8 cozinhas. Outra coisa bacana é que elas informam sobre tendências estéticas, evitando que alguém (normalmente o marido) planeje colocar um abajur cor de carne no canto da sala e o lençol azul no quarto da bebê.

Abaixo, uma relação dos principais títulos disponíveis (e seus respectivos preços) nas bancas. Não reparem, os nomes são pouco criativos mesmo:

Especiais Casa Claudia = R$ 28
Casa Claudia = R$ 9,90
Especiais Arquitetura & Construção = R$ 28
Arquitetura & Construção = R$ 11
KAZA = R$ 12,90
Casa & Construção = R$ 9,80
Casa & Jardim = R$ 9,90
Viver Bem = € 4,20 (acredite, o preço está em euro)

Quando começar a reforma, preciso convencer a Amanda a usar esta papelada toda para forrar o chão de casa...

A planta

O primeiro passo foi procurar nosso síndico, o Marcelo, para pedir as plantas do apê. Para a nossa sorte ele tem a de alvenaria, hidráulica e a elétrica. Ótimo, não?

Essa é a de alvenaria.


Reforma no Apê

Precisamos de mais um quarto, isto é fato.

A primeira idéia era mudar para um apê maior, mas... o jeito é reformar.

São várias pesquisas no 'santo' google, muitas revistas de decoração e arquitetura, vários pedidos de opinião, plantas, plantas e mais plantas!! Por enquanto são muitas idéias fervilhando, estamos descobrindo coisas novas, facilidades, tendências... enfim, estamos em fase de pesquisa. A reforma mesmo, só daqui uns meses. Enquanto isso vamos dividindo por aqui as coisas que estamos descobrindo.

Mesmo sendo um casal de jornalistas não vamos ficar preocupados em fazer um blog jornalisticamente correto. Isso vai ser simplesmente um "caderninho de anotações", sem periodicidade garantida, sem formato padrão... apenas uma forma de trocar informações com quem se interessar.