26 de jul de 2010

O QUARTO DA MARIA EDUARDA

O novo quarto para o apartamento não é um luxo. É uma necessidade. Porque quem tem filho pequeno que dorme no mesmo quarto dos pais, conhece bem a dificuldade.

Assim que nasce, mesmo que o apartamento seja o Palácio de Versalhes com seus 700 quartos, você vai querer a criança o mais perto possível. A natural insegurança torna a divisão do espaço algo conveniente. Atire a primeira mamadeira quem nunca ficou olhando fixamente para o recém-nascido, para ver se a respiração está normal, se está frio ou calor e entrar em ação diante do mínimo barulhinho emitido.

Mas aí a Maria Eduarda cresceu. E com 1 ano de vida parece dominar todas as técnicas de manhas possíveis. Deve ter feito curso no SENAC, escondida. E qualquer desconforto no meio da noite, ela abre os olhos e sabe que estamos lá, prontos para niná-la.

E mais: ela é sempre nosso despertador. Acordou, bateu o tédio, ela dá piruetas no berço para ver se alguém a acolhe. Sem resultado, começa a buscar todos os objetos que alcança no criado-mudo ao lado. Se ainda assim não obtiver êxito, joga os mesmos objetos no chão e inicia a inconfundível melodia do choro. É o mais perto de uma rebelião que ela consegue promover.

Então, sabemos que um quarto individual lhe fará bem. Todos os pediatras e estudiosos sinalizam que este “isolamento” é saudável para o desenvolvimento do bebê. Óbvio que, assim que o quarto for inaugurado, eu e a Amanda vamos no revezar para checar se está tudo bem. Mas, ao mesmo tempo, será um passo importante para o bem-estar de todos.

Eu também sei que, quando cada um estiver no seu canto, vai bater aquela saudade de olhar para o lado e ver a coisa mais importante do mundo dando risada, se escondendo entre os lençóis e tentando chamar a sua atenção. Porque, como dizem os filósofos populares, cada escolha é uma renúncia.

Mas fica a promessa de que ficarei sempre ao lado da Maria Eduarda, inventando histórias, criando músicas (nunca decoro as que já existem) e buscando em seu olhar aquele semblante doce, que sinaliza estarmos no caminho certo.

6 comentários:

Cléo disse...

Vocês fazem muito bem, afinal uma princesa precisa de um quarto só p/ ela. Sucesso!!! Bjs

Sonia disse...

Não tenha dúvida de que vcs estão no caminho certo, assim como eu não tenho de que vc e a Amanda se revezarão pra checar como estão as coisas com a filhota no quartinho dela. Boa sorte pra todos!!!

Amanda B Ansaldo disse...

Vou passar a dormir no quarto dela.

Andréa Cordeiro - Maringá 2010 disse...

sensacional!!!!

esse post merece estar numa revista de bebê! ehehe
bjo

viviane disse...

Falou td! Não deixou dúvidas qto à necessidade de um quarto para ela. E menos dúvidas ainda, do qto ama sua pequena!

Flavio Monaco disse...

Corroborando com a iniciativa do casal que amo, faltou dizer também que, além de uma melhor dinâmica para a relação da criança com os pais, diminuindo as manhas, a presença do filho no mesmo quarto provavelmente fará com que ele não tenha irmãos...hahaha