27 de jul de 2011

Algumas coisas que deram certo

Resolvi listar aqui algumas coisas que fizemos na reforma e que gostamos bastante... vamos lá:

- Nicho no box dos banheiros – Tem coisa pior do que bater o cotovelo na prateleira do shampoo na hora de lavar o cabelo? Eu detesto! Então pedi para o Edimar fazer um buraco na parede de cada box, no meio colocamos uma prateleira de vidro e pronto, shampoos embutidos na parede!

- Água filtrada - Como nossa torneira da cozinha tem dois registros nós deixamos um lado para água normal para lavar louça e o outro lado embutimos um filtro embaixo da pia... quando queremos beber água é só abrir o registro da esquerda e não precisamos ficar com aquele trambolho (filtro) em cima da pia.

- Janela anti ruído – A gente tinha janela anti ruído em um quarto, agora colocamos nos outros dois... que delicia dormir no silêncio!!!!

- Porta no corredor – Como no apê moram pessoas de idades e hábitos diferentes achei bem legal colocar uma porta entre a sala e o corredor dos quartos, assim quando minha avó acorda cedo pode fazer a maior bagunça na sala e na cozinha que quem está dormindo não se incomoda... ou ao contrário, quem dorme mais tarde (tipo eu) pode ficar por lá tb sem atrapalhar os outros

- Luz de emergência – Pode parecer bobagem, mas é tão ruim quando acaba a luz e a gente fica naquela escuridão! Sem contar que crianças se assustam e idosos (minha avó) pode correr o risco de algum tombo. Então, coloquei no corredor uma luzinha de emergência embutida na sanca, fica lá e no dia a dia ninguém vê... se faltar energia ela acende por até 2 horas e é fraquinha porém o suficiente para a gente poder se orientar lá dentro. Esse é um investimento que eu super indico, ela custa cerca de R$ 30,00.

- Suporte de TV – Compramos o suporte para as TVs dos quartos móveis, eles ficam na parede mas dá p virar a TV p todos os lados. Não ocupa espaço e vc não fica com a TV totalmente imóvel como no caso dos outros suportes p TVs LCD.

- Armários com porta de correr – Bom, nem preciso explicar muito né? Economiza taaaaaaaanto espaço!!

- Pias – As pias dos banheiros nós colocamos de sobrepor, mas não foi por estética, foi para sobrar mais espaço dentro dos armários sem aquela cuba que normalmente fica.

- Dimmer – Eu não podia esquecer disso, é uma das coisas que mais usamos! Colocamos um dimmer em cada quarto, e eles ficam perto das cabeceiras das camas, assim dá para deitar e regular a luz na intensidade que vc quiser, e na hora de dormir se quiser apagar não precisa levantar! Ou então pode deixar acesa mas bem fraquinha, como temos feito no quarto da nossa filha e no da minha avó. Gasta pouca luz e caso elas acordem de madrugada dá p se orientar.

- Varal retrátil – O varal de teto já é uma boa pq fica lá em cima e não chama muito a atenção, mas o retrátil eu achei melhor ainda pq quando não está em uso ela praticamente some, fica guardadinho em uma das paredes e parece mais uma luminária, com cerca de 30 cm por 10 cm.

- Lava louças – O meu xodó! Incrível, em tão pouco tempo e já viramos melhores amigas! Vou explicar, eu ODEIO lavar louças... Depois que mudamos de volta p o apê e tenho usado ela cheguei a uma conclusão: A Dilma deveria criar a “Bolsa Lava Louças” e dar uma para cada residência que não tiver. Tipo, investimento em saúde pública, a saúde das mãos e esmaltes...

24 de jul de 2011

Retrospectiva

=

Cinco longos meses. E estamos de volta. Pra quem está de fora, parece exagero. Mas para ajudar a entender quanta coisa aconteceu nesse período, resolvemos fazer uma retrospectiva a partir de 15 de Fevereiro, data oficial do início da reforma no apartamento 211.

Assim que soou a primeira batida da marreta, Ronaldo Fenômeno anunciava sua aposentadoria. Do dia pra noite, todo mundo virou especialista em hipertireoidismo. O pau começava a correr solto na Líbia e no Bahein. O ditador Muammar Gaddafi mandou avisar: “Só saio daqui morto”.

Veio Março. O Brasil já era o 7º PIB do mundo e a conta da reforma não parava de subir. O Carnaval entrava em cena. No quesito evolução, o apartamento recebia uma modesta nota 7,2. E o mundo parou para acompanhar um desastre. Um tsunami arrasou o Japáo e trouxe o risco do colapso nuclear. Enquanto isso, o STF anulava o Ficha Limpa e jogavam mais água na nossa gasolina. O são-paulino Rogério Ceni marcava seu 100º gol – justamente contra o seu maior rival, o Corinthians. E José Alencar, o imorrível, morreu. O Brasil esqueceu por um dia as disputas políticas e prestou sua homenagem.

Surgiu Abril e os prazos já começavam a adiar mais que o leilão do trem-bala brasileiro. A Petrobras encontrou uma forma de ser sustentável. Aumentou o preço do combustível e sustentou ela própria. Aí veio uma das maiores tragédias urbanas de nossa história. O ex-aluno que invadiu uma escola no Realengo e matou 11 crianças antes de se suicidar. Os chineses descarregaram dinheiro para o Brasil produzir o iPad. “Yes, nóis pode”, bradaram uns. E o aeroporto de Cumbica se tornava uma extensáo da Marginal Pinheiros. Rush o dia todo, a toda hora. Sobrou ainda espaço para a contradição máxima: Renan Calheiros foi cuidar da ética no Senado.

Maio começou com uma bomba. Obama foi à TV e anunciou: “Osama bin Laden is Dead”. O mundo voltou a nutrir a paranoia de atentados. O corpo ninguém achou. Os EUA apontaram para o mar, mas sem deixar pistas. O Brasil enfim saia do armário e aprovava a união estável gay. Depois de seis anos, a nosso inflação voltava a dar as caras. E o dólar não parava de cair. O Taleban assumiu a autoria dos ataques ao Paquistáo, que resultaram en 80 mortes. E o ministro Palocci tentava explicar o milagre da multiplicação dos peixes (e do seu patrimônio). O novo Código Florestal era aprovado, enquanto o desmate na Amazônia não parava de crescer. E quando ninguém mais se lembrava, um laudo revelou a falha na sonda do Air France.

As chuvas e os ventos de junho provocaram um apagão em São Paulo. Frio em quase todo o Brasil. A Câmara aprovava o sigilo dos orçamentos para a Copa de 2014. Um gol contra em grande estilo. Teve que reconsiderar, diante de tamanha pressão popular. O Santos era tricampeão da Libertadores, consgrando Neymar e seus moicanos. O Abílio Diniz surgiu em cena para juntar Pão de Açúcar e Carrefour. BNDES disse sim, mas os franceses do Casino fizeram cara feia.

Eis Julho e a promessa de voltarmos pra casa. Mas ainda restavam morosos dias pela frente. Morria Itamar Franco, o ex-presidente do topete e da calcinha (va verdade, da ausência dela). O venezuelano Hugo Chávez confirmou ter câncer e incorporou ao tratamento uma divertida cobertura da Copa América pelo Twitter. A camareira mudava de opinião e liberava o chefão do FMI da prisão. Mais uma crise do governo Dilma: o Ministério dos Transportes andava em marcha ré. A Gol comprava a Webjet, mas as pessoas queriam saber mesmo se haveria a fusão da barrinha de cereal com o pacote de amendoim torrado.

E essa reforma acabou no dia 15 de julho. Não atrasamos nenhuma conta, ao contrário do Obama, que já previa um enorme calote do governo americano. Mudamos nas vésperas do vexame protagonizado pelo Brasil. Aquele episódio recente dos quatro pënaltis perdidos e a derrota para o Paraguai.

O mundo mudou bastante nesses últimos 5 meses. Agora, é hora de viver a nossa nova e própria história dentro do apartamento 211. As folhinhas do calendário continuam a cair...

22 de jul de 2011

Uma decepção: Hydra Duo



Já que agora o mundo parece que está pensando mais no meio ambiente nós optamos pela descarga ecológica... se podemos cuidar da natureza, pq não? Pois bem, compramos a Hydra Duo, ela tem vazões diferentes, o botão 1 é para dejetos líquidos e sai menos água, e o botão 2 é para dejetos sólidos com mais água para o “submarino descer pelo cano”. Parece ótimo, né? Não. Na pratica não valeu o investimento (sim, coisas ecologicamente corretas ainda custam mais caras que as outras). A quantidade de água que desce quando apertamos o botão 1 é tão pouca que não chega ser suficiente para a água da bacia mudar da coloração amarelada para transparente... vou ser mais clara, o xixi não desce! Eu reparei isso mas nem cheguei a comentar com o Fabio, até que um dia ele veio falar “to meio decepcionado com a descarga”... Só estamos usando o botão 2... já que é assim a gente podia ter instalado uma válvula comum e economizado um pouco, enfim.

Enfim, válvula Hydra Duo: Não recomendamos.

21 de jul de 2011

A falta do sofá

A gente nunca observa a gigante falta que um sofá pode fazer,essa ficha só cai mesmo quando ficamos sem. Como faz falta! Pare para pensa no seu dia a dia e a relação com o sofá... eu, por exemplo, toda manhã sento um pouquinho na sala com a minha filha para ver algum desenho. Se eu tiver fazendo alguma outra coisa e o tel tocar, atendo e sento no sofá para falar. Ai tem aquele cochilo a tarde no final de semana, que é uma delicia! E a noite também lá vamos nós assistir novela no sofá. As vezes ele também serve de pula-pula para a nossa filha, mas essa não é uma função oficial...Quando chego da rua qual a primeira coisa que faço? Deixo a bolsa no sofá! E para usar a internet? É o laptop no colo sentada no sofá...

Nunca pensei que ficar uma semana sem sofá seria tão complicado!! Mas acredito que mais uns 10 (eternos) dias ele chega. Se não chegar, bom ai eu devo enlouquecer de uma vez...

14 de jul de 2011

Milagre para limpar paredes


Outro dia vi no supermercado algo que dizia ser uma “Esponja Mágica”, que seria só passar água e que limparia muito fácil as paredes. Não acreditei, porém comprei. É o bichinho consumista dentro de mim junto com um pensamento “Kikovôfazê cás parede do acampamento?”. Sim, pq nós alugamos lá para passar só o período da reforma, não seria justo ficar lá esses 5 meses e ter que pintar o local inteiro para devolver, mas por outro lado tb não é certo entregar meio sujinho, pq por mais que a gente tome cuidado quando se tem criança em casa é muito difícil manter a parede limpa... e vamos falar a verdade, minha avó pq tem lá seus problemas com paredes, anda se segurando o tempo todo ao invés de usar a bengala dela, que normalmente fica descansado isolada em algum canto.

Enfim, e a tal esponja mágica, né? Hoje tiramos quase tudo do apartamento alugado e levamos para o nosso, quando olhei a real situação das paredes fiquei DESESPERADA. Até a Claudia, que trabalha lá em casa, se ofereceu p me ajudar a pintar se fosse necessário. Corri para pegar a buchinha mágica... gente, fiquei chocada, ela funciona mesmo!! Eu tinha comprado duas, mas consegui limpar o apartamento inteiro com uma só. Conforme a gente vai usando a parte branca dela vai gastando, é como se ela fosse uma borracha mesmo que apaga a sujeira. Na foto dá p ver a bucha usada e já quase sem nenhuma parte branca e a novinha, ainda inteira.

Eu nunca imaginei que fosse fácil desse jeito limpar! Só passei água na esponja e pronto... todos os cômodos limpos! Ah, teve só um risco de uns 5 cm com caneta esferográfica que ela não tirou, de resto tirou tudo... canetinha, giz de cera, marca de mão, marca de cadeira encostada e até uma marca de uma fica crepe que estava encostada lá e eu não tinha visto (devia fazer uns meses). Enfim, fica a dica para as mamães... comprem uma esponja mágica, até o Anderson, pintor que tava lá em casa, viu e achou ótima.

13 de jul de 2011

E agora, Maria?

Maria Eduarda está feliz. Assim que entra no apartamento 211, ela corre para conferir a evolução do seu quarto. Sim, só dela. Afinal, a espinha dorsal dessa grande reforma é a criação de um quarto para a nossa filha, que há dois anos divide seus sonhos no mesmo espaço que os pais.

Se você pergunta onde ficará a cama, os brinquedos, as roupas, ela logo vai apontando com os dedinhos miúdos e abrindo o sorriso. Entendeu que estamos a falar de seu novo universo. Quando está bem empolgada, chega a pegar a vassoura para limpar os resquícios de pó espalhados pelo chão. Olha para a parede na cor roxa com orgulho.

Mas é claro que estamos apreensivos. Maria Eduarda nunca soube o que é dormir sem a nossa presença. Dificilmente essa mudança se dará sem obstáculos. O choro deve aumentar nas próximas noites. Como vamos aproveitar e transformar o berço em cama, não duvido que ela promova algumas fugas até o nosso quarto.

Pra nós também será um aprendizado. Perderemos a zona de conforto de levantar os olhos a qualquer hora e conferir se está tudo bem. Até então, uma braçada apenas nos separava. E ainda tem o lado emocional. Você ser acordado com um “papaiiiii” pela manhã vale uma vida. Ver ela atirar o travesseiro pra fora do berço quando deseja sair dali é uma cena impagável.

Sexta-feira está marcado o nosso retorno. Novos ambientes para explorar, novos hábitos para cultivar. O espaço próprio da Maria Eduarda representa uma independência para todos. Será uma noite diferente. A primeira de muitas nesse novo lar. Uma luz ficará acesa no corredor que separa os dois quartos. É uma forma simbólica de dizer que tudo ficará bem.

12 de jul de 2011

Mudança

Pode não parecer, mas 5 meses é muita coisa, principalmente para quem tem criança em casa. Pois é, essa reforma levou cinco meses! Mas teremos um apê novo, com uma planta totalmente diferente, com instalação elétrica e hidráulica toda nova. Apesar dos mais de 20 anos do prédio, posso dizer que temos um apê novinho, e com cheiro de tinta fresca. Hum... falando na tinta, por quanto tempo será que vai durar a minha neura com a brancura do ambiente? Sim, pq foi só minha filha entrar e eu já falei “cuidado com a parede!”... será que daqui mais cinco meses eu melhoro?

Ontem foi dia de começar a faxina... e parece que ainda vai longe. O pó fininho entra em todo lugar, até na alma da gente. Mas já passei vassoura, aspirador de pó, pano úmido... e pelo menos os quartos estão mais habitáveis. Começamos a levar algumas coisinhas para os armários, principalmente as coisas de cabides. Mas confesso, dá preguiça só de pensar! Agora to aqui no trabalho e cada vez que olho para o relógio (agora 17:41h) me dá aquela sensação de “aiiii, daqui a pouco volto p casa e vou ter q continuar a mudança...” É quase um pedido de socorro, ou então uma forma de reclamar “de boca cheia”, afinal o apartamento está quase pronto, e era tudo que eu mais queria nos últimos meses, voltar p casa.

Ai vc pergunta “QUASE pronto?” Sim, quase. O pintor ainda está terminando a sala e cozinha. Antes de ir aqui para o estúdio, passei na obra e pedi pelamordedeus p ele terminar isso hoje. O meu desespero é pq na sexta feira agora tenho que devolver o apartamento alugado para o dono, sem móveis e limpo.

Hora de correr.

11 de jul de 2011

Notícia rápida

A notícia é rápida, mas boa!


TERMINARAM HOJE DE INSTALAR OS ARMÁRIOS!!


Sabe o que isso significa???? Que já podemos começar a mudança!!! Pelo menos dos quartos, pq na sala e cozinha o pintor ainda está terminando uns detalhes.

6 de jul de 2011

Fotos de hoje

A fase final não está sendo fácil... mas parece que mais um dia eles terminam de montar os móveis... que por enquanto estão assim:


Móvel do computador


Banheiro

Pessoal trabalhando



Banheiro vó




Móvel da TV



Nosso quarto




Quanto vó



Pessoal começou hoje a instalar os móveis da cozinha



Móvel da sala (esse gerou muita conversa... na verdade todo mundo era contra colocar um armário na sala, mas eu quis... sei q realmente não é comum colocar esse tipo de móvel na sala, mas nós ficamos sem quartinho de empregada, então preciso de algum lugar p guardar os cacarecos! rsrs)



Quarto da nossa filha

5 de jul de 2011

Suvaco

Não estranhe o título desse texto. Sem ideias novas, perguntei para a Amanda sobre o que escrever. Ela me respondeu: “Suvaco”. Pronto, ao menos o título estava decidido. Isso mostra que nessa reta final as pautas minguaram. O que não chega a ser uma má notícia. Sinal de que as coisas estão se encaixando e o apartamento 211 está prestes a ser reinaugurado.

Dez dias. É essa a nossa previsão de regresso. A pintura avançou bem, os móveis da Todeschini estão quase no lugar (apesar do horário bastante flexível da montadora), os eletrodomésticos só esperam a fixação das últimas tomadas. O que parecia tão distante, quase uma miragem, começa a se materializar. Reforma boa é reforma finalizada.

Tirando o buraco onde deveria estar o olho mágico, tudo ganhou foco. O que é fundamental para quem tem hipermetropia e astigmatismo (sim, eu). E essa falta de notícia talvez seja a maior garantia de que não haverá mais adiamento. O retorno é só questão de tempo (frio, pelo jeito).

Pergunto. Estaremos prontos para o novo que nos espera? Pode parecer uma besta crise existencial, mas a dúvida não é em vão. Vocês devem se lembrar que a Maria Eduarda até andou batendo a cabeça na parede até se acostumar com a disposição espacial do apartamento alugado.

Pra mim não chega a ser tão doloroso, mas existem detalhes com poder de desnortear. Onde fica o shampoo agora? Cadê o meu chinelo? Sumiu meu All Star branco. Em que lugar deixei o box do House. Futilidades. Tão presentes na nossa doce rotina.

O 211 está ficando bonito pra cacete. Mérito dos bons profissionais contratados e principalmente da Amanda, com olhar sempre atento a todos os detalhes e munida de conhecimento técnico pra deixar qualquer marmanjo com inveja (me inclua nessa lista).

Cinco longos meses. A paciência foi testada ao seu limite máximo. Está na hora de voltar. Como um dia cantou o rei Elvis Presley: “There is no place like home”.

4 de jul de 2011

SALA

Olha lá como tá ficando a sala... segue foto da iluminação e do armário...